Menina de 13 anos passa por cirurgia após sofrer estupro coletivo por colegas

Unknown | 12:37:00 | 1 comentários


Uma menina de 13 anos foi estuprada por quatro adolescentes com idades entre 13 e 17 anos, em Águas Lindas de Goiás (GO), região do Entorno do DF. De acordo com o agente Brandão Junior, da seção de investigações criminais do Ciops (Central Integrada de Operações de Segurança), tudo começou dentro do Colégio Estadual Paulo Freire, onde vítima e acusados estudavam na mesma sala.

O crime aconteceu no dia 7 de outubro. A menina foi para o colégio, mas, ao chegar lá, soube que não teria aula. Então, um dos rapazes a convidou para ir à casa de um deles no bairro Cidade do Entorno. De acordo com a versão da vítima, eles deram um copo grande de vinho para ela beber. Ela tomou a bebida de uma só vez e, a partir daí ,começaram os estupros. Segundo o investigador Brandão, a menina só lembra flashes do que teria ocorrido.

— Ela estava sob forte efeito de álcool e foi estuprada pelos quatro adolescentes.

Após estuprar a jovem, segundo a polícia, os adolescentes perceberam que ela sangrava muito. Então, eles deixaram a menina na rua. Um conhecido encontrou a menina já alcoolizada e a levou para casa. Quando a mãe chegou, encontrou a filha tomando banho e sangrando muito.

De acordo com a mãe da menina, ela tentou atendimento no Hospital Municipal de Águas Lindas, mas não conseguiu porque não tinha ginecologista. A mãe então seguiu para o HRC (Hospital Regional de Ceilândia) onde a menina teve de ser operada. A mãe ficou horrorizada com a situação da menina.

— Minha filha teve que levar cinco pontos. Ela quase morreu de tanto que sangrou. Agora, graças a Deus, ela está bem.

A menina se recupera em casa e já voltou a frequentar a escola. A mãe preferiu transferi-la de horário para evitar contato com os agressores. O irmão mais velho a leva e busca após as aulas.

Ainda segundo a mãe da menina, os acusados não foram presos porque, de acordo com a polícia, o IML (Instituto Médico Legal) não fez exame de corpo de delito. Apenas após o laudo será possível apreender os acusados que já foram identificados.

A reportagem tentou falar com o Colégio Estadual Paulo Freire, mas ninguém atendeu as ligações até a publicação desta matéria.


FONTE: R7/ foto da internet





Categoria:

Espalhe por aí

1 comentários

  1. Unknown says:

    Isso é um absurdo! Está certo que a garota não deveria ter ido a casa desses marginais, mas também não precisavam ter feito essa maldade com ela.