Assassinos no pinote foram presos em Anápolis

Unknown | 15:29:00 | 0 comentários


Ednaldo (sogro) e Adriano (genro), acusados do assassinato de Luquinha, ambos vendedores de CDs e DVDs, na Av. JK do Jd. Brasília em Águas Lindas estavam foragidos vivendo na vizinha cidade de Anápolis/GO. A dupla só foi descoberta, quando um deles fez uma ocorrência de perda de documentos, e a polícia constatou que contra ele havia um mandado de prisão, no GIH da Delegacia Regional de Águas Lindas, que foi imediatamente comunicada do paradeiro do fugitivo da Lei.


O Dr. Cleber, delegado chefe do GIH e mais quatro agentes, foram até Anápolis e fizeram campana durante toda noite vigiando o endereço que Ednaldo forneceu na ocorrência da perda de documentos, onde foi preso por volta das 06:00hs da manhã. Com a casa caída, o sogro forneceu aos policiais o endereço do genro, aonde os policiais chegaram a abordar um morador, que indicou a casa ao lado como sendo a moradia de Adriano. Um policial pulou o muro e surpreendeu o fugitivo ainda na cama. Os dois foram trazidos para Águas Lindas onde ficarão presos à disposição da Justiça.

Entrevistados pela nossa reportagem, Ednaldo negou participação no assassinato, mas conforme informações dos policiais, as investigações confirmam o contrário. Já o Adriano, disse que matou Luquinha, porque tempos atrás este havia atirado contra ele, e disse friamente sem demonstrar nenhum remorso, “matei por motivos pessoais, e se não tivesse matado, hoje ele estaria aqui no meu lugar, e eu lá no lugar que ele está”.


Conforme os policiais, as investigações apontaram que Luquinha foi assassinado por motivo fútil, (briga por ponto de venda de CDs e DVDs), e também que Adriano já tem passagem por receptação (Art. 180 do CPB).

A Polícia Civil está empenhada em colocar na cadeia, criminosos que se encontram foragidos. Conforme o Dr. Fernando Gama, todos os delegados e agentes das delegacias especializadas, tem dedicado bastante para cumprir mandados de prisão, que qualquer informação é importante, e o denunciante não precisa se identificar.

COMENTÁRIO DO REPÓRTER:

Estão vendo, no que dá matar alguém. Um homem morto, dois homens presos e três famílias destruídas. Uma briga por um pequeno espaço público, para comercializar CDs e DVDs piratas, foi o motivo. Mas, a frieza do Adriano, surpreendeu até a mim que já sou acostumado a entrevistar marginais perigosos.

Carlos leal, sem papas na língua.

Fotos: Genildo Macedo/TV CMN


Categoria:

Espalhe por aí

0 comentários