Mutirão do DPVAT no Fórum de Águas Lindas

Unknown | 17:35:00 | 0 comentários


Aconteceu na manhã dessa quarta-feira (25), o mutirão do DPVAT no Fórum de Águas Lindas de Goiás. Foram seis bancas recebendo as vítimas de acidentes de trânsito que entraram com processos na justiça para receber as indenizações, que segundo a coordenadora do mutirão, Érica Rios Lopes em torno de 60 processos parados, alguns com até mais de sete anos em trâmite.

Na ação foram cinquenta e seis processos, onde ouve vários acordos e o valor total das indenizações chegou a R$ 122.300,08, resultado que foi considero bom.


Uma das vítimas que conseguiu resolver o seu processo, foi Manuel Rubenildo Lopes. O mesmo sofreu um acidente de moto em 2008 tendo traumatismo craniano, e continua com sequelas. Junto com o seu advogado, Manoel fez acordo com a seguradora optando pela finalização do processo que já tramitava na Justiça há muito tempo.

No decorrer do mutirão, também são realizadas perícias médicas, com a finalidade de complementar os laudos periciais do IML, que qualificam a lesão, mas não quantificam o seu grau. Essa segunda perícia, é realizada por um médico perito oficial e outro representado a seguradora. Em Águas Lindas, a Drª Célia Regina, juíza responsável pelo Mutirão do DPVAT, nomeou a Drª Claudina Ramos Caiado, perita do IML de Luziânia/GO como representante do TJGO.

Tassyana Ribeiro, assistente do 1º Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania, disse que a maioria dos reclamantes se dispõe a fazer um acordo, “desde que não seja muito a quem de suas pretensões”.

Jeferson Lopes, que foi atropelado por uma moto quando atravessava a BR 070, já aguardava pela indenização desde 2011, e só agora conseguiu fazer um acordo com a seguradora, “que atendeu suas expectativas”.


A Seguradora Líder, que é a responsável pela a liberação dos recursos do DPVAT foi que propôs a realização do mutirão em Águas Lindas, assim como já havia ocorrido em outros municípios goianos.


Infelizmente, ainda existem vítimas que vão continuar esperando uma solução, como é o caso da senhora Joaquina, hoje com quase 80 anos, e que foi vítima de acidente por um veículo da Empresa Santo Antônio de Transporte e Turismo. Ela deu entrada ao processo em 2008, e a empresa foi sentenciada em pagar uma indenização no valor R$15.500,00 reais por reparação de danos matérias e morais, mas nunca conseguiu receber um centavo se quer.

COMENTÁRIO DO REPÓRTER:

Parabéns para o TJGO que busca soluções práticas que resolvam processos que se encontram emperradas nos Tribunais de 1ª instância.

Carlos Leal, sem papas na língua.

Categoria: ,

Espalhe por aí

0 comentários