Hospital Bom Jesus, “só Jesus na causa”

Unknown | 10:11:00 | 6 comentários


O que mais se recebe na TV CMN são denúncias, contra algum serviço público, por falha no atendimento, isso, já à muito tempo, desde o governo passado que isso acontece corriqueiramente, como coisa banal, o que não é.  Mas, sem dúvida nenhuma, no atual governo municipal, aumentou a quantidade de reclamações sobre o atendimento no Hospital Bom Jesus.

Nesse domingo, 13 de julho, por volta das 17:00hs, (bem na hora do jogo, Alemanha X Argentina), chegou mais uma. O cidadão,  aguaslindense, Agmair de 23 anos, ligou para nossa redação, denunciando que chegou ao HBJ, levando a esposa Ana de 21 anos, que estava sentindo fortes dores abdominais e vomitando muito. Conforme o Agmair, na recepção foi muito bem atendido, e até elogiou a atenção dispensada à sua esposa por parte dos atendentes, mas, se decepcionou muito com o médico Dr. Otávio Milton, que não quis atendê-la prontamente, e ainda o tratou com aspereza, dizendo, “calma, calma, que não vou tendê-la agora. Estou com dois infartados, um com fratura exposta no pé e um óbito”.

Fomos ao HBJ e confirmamos a denúncia, como também ouvimos o Dr. Otávio Milton, que nos disse estar sobrecarregado de serviço e deu prioridade aos casos mais urgentes, que realmente era o único médico de plantão.

COMENTÁRIO DO REPÓRTER:

Doutor, bem na hora do jogo?

Aqui na redação redigindo essa matéria, me perguntei: De quem é a culpa ou o erro, do único médico que estava de plantão, de médicos que supostamente falharam ou se atrasaram por causa do jogo, ou do governo municipal em não contrata mais médicos para atender a população? _Não encontrei a resposta, mas concluí que, “do reclamante e da paciente, é que não é”!

Carlos Leal, sem papas na língua. 

Categoria: ,

Espalhe por aí

6 comentários

  1. Anônimo says:

    serviço publico em aguas lindas é precário,um descaso total do prefeito.
    em breve estarei juntamente com familiares me mudando da cidade.

  2. Layla says:

    Ele está certo em atender os casos mais graves. Os de menor gravidade tem que esperar mesmo.

  3. Anônimo says:

    A situação ta realmente muito preocupante em águas lindas, mais se realmente o medico já estava atendendo outros pacientes mais graves e que chegaram primeiro nao e e certo atribuí a ele uma culpa que ele nao tem! Afinal se ele era o unico que estava de plantão a culpa e de quem deixou de trabalhar mesmo estando de plantão e do governo que nao contrata mais médicos!

  4. Anônimo says:

    Graças a Deus um médico fez uma triagem perfeita,pois o que se ver aí neste hospital é: "olha o meu crachá sou do gabinete do prefeito" , "vou chamar a reportagem ,pois votei no HILDO e não admito esperar", "Trabalho em tal secretaria e leva logo minha ficha" , em fim , da mesma forma acontece em classificação de risco,ou seja , VERMELHO:atestado médico e "chegado" do prefeito; AMARELO: mulheres com ciúmes do marido entrando pelo box de emergência e VERDE: os que precisam de atendimentos realmente.... Já estive diante de um atendimento desse mesmo médico e vir um milagre acontecer.... sabe porque sei disso? o box de emergência de lá parece uma passarela entra e sai quem quer...nunca vir isso nem cidade do inteior

  5. Anônimo says:

    esse mesmo medico salvou a vida da minha irmã,o atendimento foi rapido e eficaz,agradeço primeiramente a Deus e segundo ao atendimento dele,agora fico me perguntando se ele nao desse prioridade na emergencia e deixasse esses casos de menor gravidade de lado,talvez ela nem estaria entre nos...obrigada Dr.Otavio Milton.

  6. Unknown says:

    Eu sempre achei péssimo o serviço público, principalmente hospitalar, mas tenho muito a agradecer ao HBJ, pois tenho plano de saúde há 18 anos, contudo não usufruo deste em Águas Lindas, pois faltam convênio. Passei mal num Domingo, com batimentos cardíacos que chegaram a 248 por minuto, ou seja, quase infartei, AVC e etc ... foi socorrido, estabilizado e pude ser encaminhado ao Hospital Anchieta, onde fiquei em UTI por 3 dias e estou muito bem, sem sequelas. Agradeço muito por estar vivo. Edvaldo de Sales Lima.