Não basta ser ladrão, tinha que ser cara de pau

Unknown | 15:11:00 | 0 comentários

Carlos Leal

Acesse já o novo Portal da TV CMN: tvcmnnoticias.com.br


Foi preso em Águas Lindas um elemento de posse de um carro produto de furto no Recanto das Emas-DF. Trata-se de Alexandre Santos de Alencar de 18 anos, que ao ser preso ainda teve a cara de pau de dizer que o policial teria de agradecer não só a ele, mas a todos os bandidos por ter emprego, porque se não existisse ladrão não precisaria de policia.


Hoje, (10/10) por volta da 15:30hs, a equipe da VTR-8114 com o cabo Oliveira e soldado Honório, recebeu a informação que, conforme o rastreador, um Fiat UNO de cor preta produto de furto transitava pelo Setor Mansões Camargo. Os policiais dirigiram-se para o local onde localizaram o veículo e fizeram a abordagem e a detenção do meliante que foi conduzido ao CIOPS para ser autuado por furto.




Cara de pau

O ladrão bem descontraído, contou aos policiais que, transitava de bicicleta pelo Recanto das Emas quando avistou um proprietário descer do carro e deixar a chave na fechadura. Aí, ele pegou a chave, foi à sua casa, guardou a bicicleta e retornou ao veículo, que ao se aproximar leu na placa “LEVA-ME”. Ele não pensou duas vezes, entrando no “jegue preto” como se fosse o dono e veio pra Águas Lindas, onde o trocaria por uma arma pra “pregar o terror na cidade, matar, roubar e destruir”.

Mas, conforme o proprietário do veículo, dois dias antes teve as chaves de sua residência e do veículo furtadas em sua loja comercial, que por isso trocou o miolo da fechadura da casa e que hoje trocaria também o da porta do carro, e que suspeita ter sido o mesmo ladrão.

COMENTÁRIO DO REPÓRTER:

Se a moda pega, não só os policiais terão de agradecer aos ladrões, como os bombeiros aos incendiários, os fiscais aos camelôs e até os médicos teriam de agradecer ao mosquito da dengue. É isso que dá garantir tantos direitos aos inimigos da sociedade, eles debocham da situação. Há se fosse naqueles tempos que ladrão era tratado como ladrão.

Carlos Leal, sem papas na língua

Categoria:

Espalhe por aí

0 comentários