Lojas de materiais de construção sofrem redução nas vendas em Goiás

Unknown | 11:15:00 | 0 comentários


As lojas de materiais de construção têm feito de tudo para atrair clientes em Goiás. Mesmo com as promoções, as vendas reduziram, provocando a demissão de funcionários nas indústrias. “Temos hoje aqui 20, 30 até 50% de desconto para atrair clientes, mas não atrai com a mesma intensidade que uma época boa de vendas”, conta Leonardo Lelis Rocha, gerente de uma loja em Goiânia.

No país, segundo a Associação Brasileira de Materiais de Construção, as vendas caíram 7% no primeiro semestre deste ano. Com medo de não conseguir quitar as contas, a vendedora Valdenice Pereira de Sousa teve que interromper a construção de um sobrado.

“Quando eu fiz o alicerce paguei tudo à vista. Depois, eu pensei se eu continuar vou ter que pagar mão de obra, comprar mais material, então não vai dar. Eu senti que não era a hora certa de continuar, era melhor parar do que fazer dívida”, afirma.

A maioria das pessoas que frequenta as lojas é porque economizou. “Eu já tenho o dinheiro reservado. Assim, você pode conseguir um valor mais em conta [dos produtos]”, conta o estudante universitário Tadeu Emanuel Sirino.

A queda nas vendas interfere diretamente nas indústrias, que reduzem a produção e, por consequência, demitem funcionários. De acordo com a associação, as fábricas de materiais de construção ofereceram 30 mil empregos a menos do que em 2014.
Diretor administrativo de uma das maiores indústrias de tintas do Centro-Oeste do país, Breno Xavier de Brito conta que já demitiu 20 funcionários. “É um efeito em cadeia. Esse colaborador que foi demitido deixa de ter renda, não reforma a casa dele, não consome nossos produtos, igual todos os outros trabalhadores que são demitidos”, conclui.

Fonte e foto: G1 / TV Anhanguera

Categoria: , ,

Espalhe por aí

0 comentários