Covid-19: Hospital de Campanha do Mané Garrincha é desativado após quase 5 meses em funcionamento no DF

Gusttavo Macedo | 12:36:00 | 0 comentários



O governo do Distrito Federal encerra, nesta quinta-feira (15), as atividades do Hospital de Campanha do Mané Garrincha. A unidade começou a funcionar no dia 22 de maio e, até então, recebia pacientes diagnosticados com a Covid-19.

Segundo a Secretaria de Saúde, ao longo de quase cinco meses, o hospital recebeu cerca de 1,8 mil pacientes. Atualmente, há 28 pessoas internadas. Quatro delas devem receber alta ainda nesta quinta-feira, e os demais serão encaminhados para outras unidades de saúde.

Apesar da desativação dos leitos, o DF continua com registros diários de casos de coronavírus e soma 202.058 infectados, além de 3.488 mortos pela doença. Em nota, a pasta informou que, apesar da alta de registros, o fechamento do hospital "não vai impactar a lotação das demais unidades que atendem casos de coronavírus".

Desmobilização

Ainda de acordo com o GDF, o hospital de campanha será desativado devido à redução da demanda de pacientes. A desativação do hospital faz parte do Plano de Desmobilização de Leitos Covid-19, anunciado pela Secretaria de Saúde no dia 9 de setembro (veja detalhes abaixo).

O balanço mais recente da pasta mostra que 58,25% dos leitos públicos de unidades de terapia intensiva (UTIs) exclusivos para o tratamento da Covid-19 estão ocupados. Ao todo, são 240 internações e 172 vagas disponíveis.

Além disso, de acordo com o sistema gerenciado pela pasta, há 11 pessoas no Distrito Federal com suspeita ou confirmação da Covid-19 à espera de uma vaga de UTI. Também há oito pacientes com o mesmo quadro clínico internados, mas precisando de transferência para um leito especializado.

Balanço

Durante o período de funcionamento, 1.787 pacientes que passaram pelo hospital de campanha conseguiram se recuperar da Covid-19. Ao todo, a unidade de saúde registrou 32 óbitos provocados pela doença.

A equipe que atuou no Mané Garrincha foi composta por 129 médicos e 647 enfermeiros, além de diversos profissionais de outras áreas, como fisioterapeutas, nutricionistas e profissionais administrativos, que atuaram em setores como transporte, alimentação e segurança.

A unidade foi equipada com 197 leitos, sendo 173 de enfermaria adulto, 20 com suporte avançado e quatro de emergência. Todos equipamentos e mobiliários serão integrados ao patrimônio da pasta.

Plano de Desmobilização de Leitos Covid-19

No mês passado, a Secretaria de Saúde anunciou que, a partir de 26 de setembro, algumas vagas seriam desativadas, "obedecendo um cronograma rígido e controlado por técnicos de saúde e estatísticos".

A pasta afirmou que tem disponibilizado "com folga" os leitos para a população. Segundo o secretário Osnei Okumoto, todos os leitos instalados durante a pandemia serão aproveitados para reforçar o sistema de saúde pública. "Com a redução dos casos, vamos começar a realocá-los", disse.

No dia 8 de outubro, em nota, a Saúde informou ainda que "há leitos vagos na rede que podem absorver a atual demanda, que será regulada por meio do complexo regulador da Secretaria de Saúde. Nenhum paciente ficará sem leito."

Categoria:

Espalhe por aí

0 comentários