HCamp Águas Lindas será desmobilizado

Gusttavo Macedo | 08:18:00 | 0 comentários

 


Secretaria Estadual de Saúde (SES) projeta a desmobilização da estrutura que teve o contrato prorrogado

Além do possível retorno às aulas presenciais, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) também projeta a desmobilização de estrutura voltadas exclusivamente ao atendimento de pacientes com Covid-19. É o caso do Hospital de Campanha de Águas Lindas.


Construído com recursos do governo federal, a unidade deveria ter encerrado as atividades em 22 de setembro, conforme contrato. Porém, o período foi estendido até 22 de outubro.

De acordo com o secretário de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, em setembro não foi possível desmontar a estrutura de atendimento porque a quantidade de internações ainda não permitia distribuir os pacientes da região em outras unidades. O cenário, agora, é outro, arma. Ainda assim, Alexandrino diz que é preciso ter cautela, pois a doença pode surpreender e voltar a recrudescer. “A gente não bate o martelo, vai tateando a situação”

Por isso, o retorno de aulas presenciais e eventos deve ser analisado com cautela.
“Uma sala de aula recebe muita gente em um ambiente fechado. É diferente de um bar, por exemplo, em que as pessoas vão se quiser. Se houver aula presencial e o aluno não for, receberá falta”, arma.

Mesmo se os estudantes realmente voltarem para as escolas, será necessário manter as aulas on-line, para os que não puderem ir por questões de saúde ou cujos pais decidirem por permanecerem em casa. Além disso, de acordo com Alexandrino, as medidas de distanciamento e de proteção (como uso de máscaras e álcool em gel) devem ser perenes.


O secretário da saúde explica que o platô em Goiás foi longo, mas que sempre foi possível evitar o colapso da rede pública. Segundo ele, especialmente por causa da quarentena mais dura imposta em março, quando os primeiros casos de Covid-19 começaram a surgir. Até esta segunda-feira, Goiás havia registrado 4.927 mortes pelo coronavírus. O número de casos chegou a 219.325. Goiânia atingiu 1.438 óbitos e 58.736 diagnósticos positivos.


Com informações do O Popular

 

Categoria:

Espalhe por aí

0 comentários